Riscos, Oportunidades e Perspectivas

O CREFITO-3 não possui política ou comitê específico para gerenciamento de riscos. Apesar de não haver uma sistemática devidamente formalizada para essa finalidade, os riscos mais significativos são monitorados e tratados da seguinte forma:


  • Chefes de Departamento: monitoram os processos continuamente, encaminhando as informações mais relevantes aos seus respectivos Diretores. As situações que precisarem de maior atenção são incluídas em pauta de reunião de Diretoria.


  • Planejamento e Controladoria: monitora os indicadores de desempenho de todos os departamentos, reportando-os em relatórios trimestrais, denominados Relatórios e Análise Crítica. Também elabora propostas de normas de serviço para que o gerenciamento dos processos seja feito de forma padronizada, transparente e impessoal.


  • CTC: elabora relatórios, especialmente sobre os processos financeiros da autarquia, devendo dar ciência ao Presidente e ao Plenário caso sejam constatadas irregularidades.


Além disso, há processos que possuem gerenciamento de riscos específicos, como é o caso dos processos de contratação de serviços, cujas etapas de mapeamento e monitoramento de riscos foram regulamentadas pela Instrução Normativa nº 5 de 2017 do então Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.


O procedimento de elaboração do planejamento estratégico também visa à minimização de riscos, incluindo a fase para monitoramento do ambiente externo (incluído neste relatório) e a elaboração de objetivos estratégicos que atendam às necessidades das diversas partes interessadas da Autarquia, conforme apresentado no Mapa Estratégico.